Cobie Smulders e seu marido Taran Killam concederam uma entrevista para a revista Entertainment Weekly (edição de Março), enquanto eles estavam em um gastropub chamado “Clinton Hall” no centro de Manhattan. Nesta divertida entrevista os dois contam um pouco como se conheceram, contam um pouco sobre a lua de mel e como está sendo para os dois trabalhar em uma peça na Broadway. Na entrevista Cobie também comentou um pouco sobre seu sucesso em “How I Met Your Mother” e fala sobre um possível reencontro.

Confira a entrevista traduzida:

É possível ter crush em um casal? se sim, considere Taran Killam e Cobie Smulders os candidatos ideiais para isso. Os atores, os dois com 34 anos, esteve recentemente em Clinton Hall, um gastropub no centro de Manhattan, prontos para ter e espalhar diversão (e encantar a todos ao redor). Eles começaram a namorar no inicio de seus 20 anos, antes dos dois terem seus grandes papéis, Smulders interpretando Robin Scherbatsky em How I Met Your Mother e Killam se juntando ao cast do Saturday Night Live em 2010, onde ele ficou rapidamente conhecido por suas imitações de grandes celebridades como Harrison Ford, Matthew McConaughey, e Brad Pitt. Agora o par que vive na cidade de Nova York com suas duas filhas de 2 e 7 anos, estão prontos para assumir seus lugares na Broadway. No mês passado Killam fez sua estréia na Broadway quando ele entrou nos saltos altos do Rei George na monstruosidade cultural Hamilton. Smuldes vai rapidamente seguir os passos quando Present Laughter, o revival de Noel Coward strelando Kevin Kline começar no dia 10 de março. Killam pode ter tido uma performance naquela noite, e Smulders um ensaio mas isso nao os impediu de ingerir hambúrgueres, uísque e cerveja, e tendo uma conversa falando sobre tudo, cocktails de lua de mel até os medos de palco.

Taran você disse que não começou a beber até chegar nos 30. Como isso aconteceu?

Taran: Quando eu tinha 15 anos, eu estava em uma festa do pijama jogando um jogo e eu perdi. Eu tomei um shoot de vodka e foi nojento. Quando eu tinha 16 anos eu tinha uma cervejada no dia 4 de julho mas eu odiava. Mas então eu fiquei realmente doente durante SNL. Remédios já não estavam funcionando. Alguém sugeriu que eu tomasse uísque para me ajudar a dormir, e foi o melhor sono que eu tive na vida.

Cobie: Como o uísque de dormir está hoje em dia?

Taran: Está um pouco mais áspero. [Risos] Quando nós estávamos em nossa lua de mel no Petit St. Vincent [eles se casaram em 2012], Cobie pediu para o bartender fazer para ela a bebida favorita dele.

Cobie: O que deve ser uma coisa bem irritante para os bartenders.

Taran: E ele fez para ela um Mudslide! O que é literalmente um milkshake de àlcool. Tomei quatro naquela noite. Eu acabo um milkshake que você nem acreditaria. Como Scooby-Doo devora sanduíches de 18 camadas. É assim que eu faço.

Como vocês se conheceram?

Cobie: Oh, Taran você gosta de contar essa história.

Taran: Eu sou bom nisso.

Cobie: A versão curta e a menos entediante para as pessoas.

Taran: Espere aí, que implicância é essa?

Cobie: Taran fez amizade com um amigo meu do Canada, e esse meu amigo o levou para uma festa de aniversário. Nós tinhamos 22 anos. Nos damos bem

Taran: Isso foi apenas umas semanas antes do aniversário de 23 anos dela. Nós nascemos dois dias antes de diferença. Eu liguei para ela às 11 da manhã no dia seguinte. Eu não tinha nenhuma chance. Nosso primeiro encontro foi numa noite depois que ela tinha feito a primeira leitura do piloto de How I Met Your Mother

E agora, 12 anos depois, vocês dois estão fazendo suas estreias na Broadway quase no mesmo tempo! Taran como foi pra você saber que iria interpretar o Rei George no musical mais quente do mundo?

Taran: Eu sou amigo do [Diretor de Hamilton] Tommy Kail desde meu segundo ou terceiro ano em SNL. Quando eu vim da California para Nova York, eu queria entrar no teatro. Eu fiz The 24 hour plays [um benefício, onde são escritos, lançados, dirigidos e realizados em menos de um dia] todo ano. Tommy me escolheu para o seu show, e nos tornamos amigos muito rápidos. Nós costumávamos a citar a versão de The Office do Reino Unido, que foi o nosso vinculo. Quando Rory O’Malley estava indo embora, Tommy me chamou e perguntou pra mim. E eu disse, “É claro!”

Cobie: Como dizer não?

Taran: Eu já fiz 40 shows até agora, eu nunca tinha feito isso na minha vida. E é fascinante como todas as performance são diferentes uma da outra.

Você fica nervoso antes de subir aos palcos, ou fazer Saturday Night Live curou você disso?

Taran: Eu fico nervoso. SNL foi muito mais fácil do que isso. Lá eu tenho que cantar sério na frente de 1.300 pessoas. Mas é emocionante, eu adoro.

Cobie:  Eu só quero completar o que ele disse, porque eu acho que esse show é tão especial e todo mundo tem seu próprio relacionamento com ele como um fã. Então fazer um show como esse com pessoas que já fazem isso por muito tempo, é como um trem em movimento e há muita pressão, mas Taran tem sido tão maravilhoso e tem feito um trabalho tão incrível. Ele está detonando. E eu não estou dizendo isso como esposa dele! Eu estava na primeira apresentação. Eu acho que o melhor elogio que eu dei foi quando eu etava nervosa e ansiosa, então eu estava “Oh,  ele pode fazer isso para sempre”. Ele se encaixava nisso. [Ela se vira para Killam] Eu não sei se eu já disse isso pra você.

Taran: Você já disse tantas coisas boas pra mim durante todos esses anos que estamos juntos que eu parei de contar.

Suas filhas já viram o show?

Taran: A mais velha viu duas vezes. E a menor é muito nova.

Cobie:  O CD toca constantemente em casa, até mesmo antes do Taran estreiar no show. Nossas filhas conhecem quase todas as músicas.

Taran: É interessante como isso afetas as crianças. A experiência de audiência mais significativa que eu já tive foi quando eu estava olhando para a primeira fileira e lá tinha uma família com uma filha que devia ter provavelmente 6 ou 7 anos. Ela estava claramente afetada. O pai dela ficava chegando ela, olhando para ela pra ter a certeza que ela estava bem. Seu queixo tremia, ela levantou suas mãos até a boca e ela estava paralisada. A mãe dela estava segurando ela e o pai olhando, e eu fiquei tão tocado com isso. Eu já estou bastante afetado emocioalmente por causa do show. E então eu sai pela porta do palco, e eles estavam lá! E eu perdi a cabeça, essa família realmente me quebrou. Eu falei para eles que eles foram uma audiência muito maravilhosa e o quanto isso significou pra mim. Eu comecei a chorar. Quero dizer, eu perdi o controle [Risadas] e então eles me deram um cartão.

Cobie: Eles deram?

Taran: Sim! a garotinha desenhou uma foto minha e disse, “Eu amei vir para o show.” [Ele fez uma pausa quando começou a lacrimejar, e riu.] Eu não posso lidar com isso.

Cobie, você está ensaiando agora para Present Laughter, com Kevin Kline, Kate Burton, and Kristine Nielsen. Isso é uma grande companhia.

Cobie: É um grupo de atores muito brilhante, eu estou tão animada de estar trabalhando com Kevin, Kate e Kristine. Esses maravilhosos e verdadeiros atores de teatro. Eu fiquei um pouco intimidada com isso. Eu mal posso esperar para as performances começarem.

O teatro de vocês são perto um do outro. Vocês tentaram se encontrar para tomar algumas bebidas entre as performances?

Cobie: Não sei se estou naquela posição onde posso beber entre as performances, porque tem tenta coisa que eu tenho que dizer em sotaque britânico. Hmm, então eu me perguntou se seria pior ou melhor. [Risos] Minha mãe é britânica, então isso me ajudou. E antes de dormir eu leio algumas historias em sotaque britânico.

Você fez tanto sucesso na TV e em filmes, como Os Vingadores e Jack Reacher: Sem Retorno, mas o teatro é algo que você sempre quis fazer?

Cobie: Eu venho esperando por isso pela minha vida inteira. Sério.

Taran: Desde quando nós nos mudamos para Nova York, este tem sido o objetivo dela. Seu único foco era conseguir fazer uma peça. Ela trabalhou muito, e eu estou tão, tão orgulhoso. Eu acho que o esforço do trabalho dela foi recompensado com a qualidade desse show, com o cast e o diretor.  É tão conveniente, e tão merecedora do seu talento e de quem ela é como ser humano.

Cobie: É agora que nós deveriamos dar uns amassos?

Taran em agosto você terminou de filmar Why We’re Killing Gunther, que você escreveu, dirigiu, e estrelou ao lado de Arnold Schwarzenegger. Do que se trata o filme?

Taran: É um grupo de assassinos de aluguel em ascensão.

Cobie: E mulheres!

Taran: Sim, assassinos de aluguel que saíram para matar o hit-man mais dominante no jogo, Gunther. Ele é o Moby Dic da indústria assassina. Eles contratam uma equipe de câmera para documentá-los enquanto eles caçam Gunther para matá-lo. É estilo mockumentary.

Como foi ser diretor de Arnold Schwarzenegger?

Taran: Foi intimidador e emocionante. Ele é um profissional, quero dizer, ele fez um dos maiores filmes de todos os tempos, e ele aceitou fazer nossa pequena comédia boba! Nós estamos levando isso para Cannes em Maio.

Cobie, você teve uma participação no filme. Como foi para você ser dirigida pelo seu marido?

Cobie: Esse foi um projeto de paixão para Taran, então para mim foi fácil de dizer, “Me diz o que fazer, e eu vou me certificar de saber minhas falas.” Eu estava feliz e me sentindo sortuda em fazer isso com ele. Eu espero que ele continue me contratando para os projetos dele e dirigindo, porque ele é realmente um ótimo diretor.

Taran, você esteve no Saturday Night Live por seis anos. Você se sente estranho quando da 11:30 e você não está lá?

Taran: Eu trabalhei com as mais engraçadas, mais inteligentes e as maiores pessoas do mundo, e alguns dos meus melhores amigos eu conheci lá. Mas não tem uma vez que eu sinta falta desses horários. [Risos] Realmente não existe nada como isso, bom ou ruim.

Cobie e você, você sente saudades de fazer How I Met Your Mother?

Cobie: Eu sinto falta disso todos os dias. Foi um momento muito bom.

Tem havido alguma conversa sobre uma reunião, ou um filme?

Cobie: Eu adoraria sair com esse grupo de pessoas de novo amanhã mesmo, se eles quisessem. Eu não sou contra isso, eu amaria. Mas eu acho que pode ser muito cedo.

Você ficou surpresa com a reação dos fãs sobre o final da série?

Cobie: Eu fiquei surpresa que as pessoas eram tão apaixonadas por isso. A coisa bonita sobre nossa série é que nós vivemos nessa pequena bolha por tanto tempo, onde nunca fomos um enorme sucesso, mas nós continuamos por tempo suficiente. Isso foi até no final da temporada onde eu senti que as pessoas realmente estavam nos assistindo. I vou dizer que agora mais do que nunca, que eu reconheço, e eu acho que é por causa da Netflix. Além disso é surpreendentemente enorme no exterior. Eu estava em Portugal, e lá vai ao ar três vezes por dia! Quando eu sou reconhecida em Nova York, é sempre turistas que vem de outros países. [Logo após essa entrevista, dois turistas se aproximaram de Cobie para tirar uma foto, onde Taran se voluntariou para tirar.] E às vezes eu sou reconhecida por causa da Marvel [pelo papel dela como agente da SHIELD Maria Hill] Isso sempre é bom, considerando que eu fiz um pequeno papel no filme.

Taran: Me desculpe, mas fazer Capitão América e Viúva negra sem Maria Hill?

Cobie: Provavelmente, eles já teriam inventado algo.

Você pode dizer se nós vamos te ver no próximo filmes dos Vingadores?

Cobie: Eu não tenho permissão pra isso. Mas Maria é uma ótima personagem, e tem sido muito divertido fazer parte disso.

Taran: Não precisa ser um nerd, mas você deve saber que depois de Guerra Civil, Maria Hill é tecnicamente diretor da SHIELD.
Devo dizer que depois de passar esse tempo com vocês, eu tenho a impressão de que sua casa é muito divertida.

Taran: É uma boa casa! Embora esteja um pouco “navios de passagem” agora.

Cobie: Eu estou ensaiando de dia.

Taran: [Cantando na voz do Rei George] E eu performando a noiiiite!

Adicionamos na galeria as fotos + scans da revista, para conferir basta clicar nas miniaturas abaixo:

 

 

Cobie vai estar presente no Tribeca Film Festival desse ano, no dia 22 de Abril onde vai ocorrer a premiere de seu mais novo filme, intitulado “Literally, Right Before Aaron“. A premiere foi confirmada pelo diretor do filme Ryan Eggold em sua conta no twitter. O filme foi gravado em junho do ano passado, e conta com a presença de Justin Long no cast.

Pequena Sinopse:

Literally, Right Before Aaron conta a história de Adam (Justin Long), cuja ex-namorada (Cobie Smulders) lhe diz que vai se casar com outra pessoa e o convida para o casamento, criando um constrangimento doloroso para ele.

 

O primeiro still foi liberado pelo Tribeca para a divulgação da premiere.  Você pode conferir em tamanho real clicando na miniatura abaixo:

Cobie Smulders interpreta “Kat” em Resultados (tradução do nome do filme no Brasil) uma personal trainer apaixonada pelo trabalho e com uma personalidade forte. Infelizmente o filme deixa um pouco a desejar, tendo sua classificação como 5,4 no site do IMDb. Mas não podemos deixar de comentar o quanto Cobie fez um trabalho incrível nesse filme e como sempre ela se doa muito em todos os personagens que interpreta. Vale a pena conferir o filme e ver o quanto ela está maravilhosa (como sempre). Para quem ainda não assistiu e quer assistir ele está disponível na Netflix, não perca tempo!

Sinopse do Filme:

“Recentemente divorciado, novo rico e absolutamente miserável, Danny (Kevin Corrigan) parece ser o assunto perfeito para uma visão definitiva de relação entre dinheiro e felicidade. O tédio bem financiado de Danny é interrompida por uma viagem memorável em um ginásio local, onde conhece o autodenominado guru/proprietário Trevor (Guy Pearce) e a irresistivel personal trainer Kat (Cobie Smulders). Logo, a vida dos três tanto profissionalmente como pessoalmente estão atadas.”

Adicionamos quase 3 MIL screen captures do filme em nossa galeria, e você pode conferir todas elas clicando em uma das miniaturas abaixo:

     

 

Com a estreia de Cobie na Broadway chegando, ela marcou presença em um evento de Present Laughter no dia 22 de Fevereiro, onde ela deu entrevistas para promover sua peça junto de seus colegas de trabalho.

Confira no vídeo abaixo uma pequena entrevista onde Cobie fala como está sendo trabalhar nisso:

“Ser capaz de trabalhar com essa escrita é uma fantasia enorme, é uma benção tão grande e uma troca de experiência e é um tipo de alegria ter que ir trabalhar todos os dias essas palavras com aquelas pessoas.”

Como você acha que vai ser a reação do público em 2017 já que foi escrita há muito tempo atrás?

“Eu espero… É uma alegria quando eu tenho que ir para os ensaios todos os dias e me faz tão feliz e eu sou tão grata em começar a trabalhar em algo que me faça rir e algo que é uma diversão.”

Adicionamos em nossa galeria algumas fotos do evento, para conferir basta clicar nas miniaturas abaixo:

 

 

 

 

 

No dia seguinte (23 de Fevereiro), Cobie também marcou presença na estreia da peça “Sunday in the Park With George” na Broadway. Você pode conferir todas as fotos em nossa galeria clicando nas miniaturas:

      

Cobie enviou uma mensagem para o Audience Rewards falando sobre a sua estreia como “Joanna” em Present Laughter na Broadway, em Março. Confira o vídeo abaixo:

“Olá membros do Audience Rewards, eu sou a Cobie Smulders e eu estou fazendo a minha estreia na Broadway em Present Laughter de Kevin Kline, por favor confira nossa página no Audience para pegar seus ingressos, te vejo no teatro. Saúde”

Clique nas miniaturas abaixo para conferir os Screencaps do vídeo:

Taran Killam pode ser famoso por suas impressões sarcásticas de Matthew McConaughey e Brad Pitt no programa Saturday Night Live, mas agora ele está ocupado fazendo o personagem Rei George III no musical Hamilton da Broadway. Enquanto falava com a Entertainment Tonight, Taran falou sobre apoiar sua esposa Cobie Smulders em sua estreia na Broadway também com Present Laughter.

Confira um trecho da entrevista:

Sua esposa [Cobie Smulders] está prestes a fazer sua estreia na Broadway em Present Laughter. Como vocês apoiam um ao outro antes de subir ao palco?

Nós temos uma familia, então o verdadeiro apoio vem quando um fica em casa para que o outro possa estudar, memorizar e treinar. Minha esposa se mudou para Nova York depois de “How I Met Your Mother”, e depois disso seu único objetivo era fazer um show na Broadway. Estou incrivelmente animado por ela e super orgulhoso . Eu mal posso esperar para vê-la no palco com Kevin Klein, vai ser muito legal.

Você vai tirar um dia de folga para ir vê-la? 

Eu vou. Nós temos um dias de folga e então eu estarei livre a tempo para a abertura da peça.

» Fonte

 

Como quase todos sabem, Cobie foi diagnosticada com Câncer nos ovários quando ela tinha apenas 25 anos de idade. Desde então ela nunca havia falado abertamente como foi ter passado por isso, mas recentemente ela escreveu uma carta para o Lenny Letter contando como foi essa experiência e como ela conseguiu dar a volta por cima e vencer essa doença.

Nós traduzimos essa emocionante carta, confira abaixo:

“Às vezes trabalhando como ator, alguém entra na privacidade de sua casa em uma base semanal e então você é obrigado a compartilhar uma parte de si mesmo com o público, eu até entendo esse conceito mas eu não me sinto inteiramente confortável com isso, eu sou uma pessoa muito privada. O meu lugar feliz está escondido na floresta canadense bem longe da civilização. Mas algo aconteceu há alguns anos atrás que me fez pensar que revelar parte da minha vida pessoal poderia realmente fazer a diferença na vida de outras mulheres. Isso aconteceu quando me pediram para aparecer de topless na capa da revista Women’s health. Eu sei. Não é o que eu estava esperando. Às vezes, nesta indústria insana que eu escolhi para fazer parte, você recebe esses tipos de pedidos quando você tem um projeto que precisa ser promovido.  Esta edição particular da revista era sobre corpos: como amar seu corpo, como ter confiança do seu corpo, e como se manter saudável. Foi um dia muito estranho, eu estava de pé em frente de uma câmera com roupa íntima e segurando meus seios, tudo para não parecer sexy e sim confiante, não flertante mas brilhantemente positiva. Além do fato de que eu tinha dado à luz fazia apenas seis semanas e eu não estava me sentindo no meu melhor físico, eu ainda estava me recuperando da esmagadora lisonja que alguém além do meu marido iria querer me ver em topless.

 Tudo isso me fez começar a pensar sobre o meu corpo e o que havia acontecido, e de repente este convite bizarro transformou-se uma oportunidade de compartilhar a minha experiência de ter sido diagnosticada, de ter recebido tratamento e de aprender finalmente a curar o meu câncer. Agora, qualquer pessoa que foi diagnosticada com câncer ou até mesmo conhecido alguém que foi diagnosticado com câncer está ciente de sua total posse mental, física e emocional. mesmo se você não tiver sido afetado de perto, eu tenho certeza que você pode facilmente conceituar a nuvem de trovões que chove sobre você. Eu me encontrei no meio de uma tempestade na primavera de 2008, quando eu tinha apenas 25 anos. Justo quando os ovários estão repleto de folículos juvenis, as células cancerígenas levaram as minhas ameaçando acabar com minha fertilidade e potencialmente minha vida. Minha fertilidade nem sequer passou pela minha cabeça naquele momento. Mais uma vez: eu tinha 25 anos. A vida era bem simples. Mas de repente era tudo o que eu conseguia pensar. Eu sempre quis ter filhos, eu era uma ótima babá na minha juventude, eu fazia os pratos das crianças, eu era boa em encontrar maneiras de levar as crianças a comer lanches saudáveis, todas as mães vizinhas me queriam, me queriam muito. Até mesmo no meio do meu grupo de amigos, eu era a “Maternal”, eu era aquela amiga que sempre dizia para os amigos não exagerarem na bebida. Portanto, ser mamãe era algo que eu pensava muito no meu futuro. E agora estavam dizendo para mim que provavelmente eu não teria a possibilidade de criar os meus próprios filhos. Isso é grosseiramente injusto.

Pouco antes de ser diagnosticada, eu sentia que algo estava fora do normal. Minha energia  estava baixa, eu estava cansada o tempo todo, sentia um pressão constante no meu abdômen que eu não conseguia explicar. Eu escutei meu corpo e imediatamente fui para a meu ginecologista, ela me encaminhou para um oncologista no Cedars Sinai em Los Angeles, que foi um anjo e me ajudou a colocar os meus medos de lado e começar agir.
Quando eu perguntei a ela o que eu poderia fazer para controlar essas células que tinham decidido tomar conta dos meus órgãos sem o meu consentimento, ela me disse que eu não deveria fumar ou usar drogas, e eu deveria tentar sempre comer algo saudável. Este não foi um problema. Concedido, eu estava duas semanas de ir para uma mesa de cirurgia para remover tumores de ambos os meus ovários, então não havia realmente muito além da intervenção cirúrgica que poderia ser feito nesse ponto. Mantendo isso em mente, eu sabia que tinha que haver algo que eu poderia fazer naturalmente para ajudar o meu corpo a recuperar e lutar contra esta doença.

Assim começou o mais estranho, mais estranhamente educacional quatro meses da minha vida.
Eu tive que romper a minha relação com queijo e carboidratos (felizmente, estamos agora dando a nossa relação uma outra chance, mas nunca seremos o que nós éramos antes.) Comecei a meditar, eu estava sempre em um estúdio de ioga, eu fui a curandeiros de energia que evaporaram a fumaça negra da minha parte interior do corpo. Fui a um retiro de limpeza no deserto, onde não comi durante oito dias e foi aí que eu tive alucinações causadas pela fome. Eu li tantos livros, (Crazy Sexy Cancer de Kris Carr, foi um dos melhores.) Eu fui para curandeiros de cristal, cinesiologistas, naturopatas, terapeutas e terapias hormonais.

Eu realmente quero dizer que a combinação dessas coisas juntamente com várias cirurgias, eventualmente me deu uma saúde limpa. Gostaria de que todos tivessem acesso a todos esses tratamentos. Estou ciente da minha situação, que eu estava incrivelmente feliz por ter tido os meios para explorar qualquer e todas as opções. A boa notícia é que essas opções estão lá fora, você pode fazer pesquisas e encontrar muitas maneiras diferentes para ajudar a se curar.
Felizmente, e com gratidão, o câncer não conseguiu tirar o melhor de mim. O melhor de mim agora vive em minhas duas mulheres pequenas, as meninas que eu tive a sorte de ser capaz de fazer com meu próprio corpo.
Então, agora que estou do outro lado, sinto que é meu dever, mesmo que isso signifique posar de topless para espalhar a consciência. Desde o meu artigo na revista, eu tive tantas conversas com as mulheres sobre suas batalhas com o câncer, e eu me senti tão capacitadora de abrir este diálogo e aprender umas com as outras. Mas a coisa é, eu não sei se eu vou estar livre do meu câncer, ou para ser mais específica, livre do medo do retorno dele. Ainda assim, isso se tornou para muitas pessoas uma doença habitável, algo que você aprende a gerenciar. E é isso que eu fiz.

Eu tive muita paciência para chegar onde estou hoje. Estou aprendendo que na vida se você viajar um tempo na escuridão, sem saber qual vai ser o seu próximo movimento, é normal.  Eu não permito que o estresse do desconhecido afete minha saúde, e eu escuto meu corpo quando emite sinais de aflição. Eu desejo que nós mulheres gastamos tanto tempo no bem-estar de nossos interiores como fazemos com nossos exteriores.

Se você está passando por algo como isso, eu te peço para olhar para todas as suas opções, para fazer perguntas, para aprender o máximo que puder sobre o seu diagnóstico. Respirar e pedir ajuda. Chorar quando sentir necessidade. E lutar!”

Traduzido por: Nathali | Fonte

 

 

No dia 13 de Janeiro recebemos um grande presente da Netflix que foi a participação de Cobie em Desventuras em Série, os fãs de How I Met Your Mother foram a loucura já que um dos protagonistas da série é o nosso querido Neil Patrick Harris. A participação da Cobie foi pequena, aparecendo em apenas alguns minutos (porém, em todos os episódios). Para quem não assistiu, vá assistir pois vale a pena ver as cenas em que ela aparece! ♥

Adicionamos em nossa galeria screen captures de todas as cenas. Clique nas miniaturas abaixo para conferir:  

.

Quando Tom Cruise retornou como Jack Reacher no segundo filme “Jack Reacher: Never Go Back”, ele precisava encontrar uma mulher que poderia ser exatamente igual ele para fazer um papel de Major do Exército dos EUA.

Cruise e o diretor do filme Ed Zwick encontrou essa mulher em Cobie, que foi feliz em conseguir se manter no trabalho duro com Tom nas cenas de ação. Mas não doeu muito já que ela já havia passado um tempo como Maria Hill na franquia de “Os vingadores”.

“Eu sou uma pessoa muito competitiva”, disse Smulders para a Parade em uma entrevista individual. “Sou muito teimosa. Eu joguei futebol por 12 anos, estar em estado físico bom é bastante natural para mim. Eu nunca pensei que eu ia ser contratada para estar em Os Vingadores,um dos maiores filmes de todos os tempos. Eu nunca pensei, mas eu pensei que seria algo que eu gostaria de tentar e querer fazer. Como sempre, eu tento tornar projetos criativos, diferentes e desafiadores de diferentes maneiras.”

Nesta entrevista para o lançamento do Blu-ray do filme, Smulders também fala sobre a enorme quantidade de trabalho que levou para entrar em forma para o seu papel, como Turner , se ela faria ou não uma reunião de HIMYM , e muito mais.

A major Susan Turner detona. Como você consegue abraçar essa fisicalidade em um grau tão grande?

Levou muito tempo e muitas pessoas envolvidas para chegar a um bom físico, onde eu poderia ser uma companheira convincente para Tom. Ele é super fitness e viaja com este incrível grupo de pessoas que, em cada um dos seus filmes ajudam-o a treinar todos os seus colegas de trabalho. Foi um processo real, quero dizer, eu comecei a treinar imediatamente quando estive em Nova York, por cerca de três semanas, e depois fui para Nova Orleans, onde filmamos nosso filme, e trabalhei lá muito intensamente, como todos os dias, basicamente, várias horas por dia, por cerca de cinco semanas antes mesmo de começar a filmas, por isso é um programa bastante intenso.

Isso era o que eu fazia fisicamente. Mas mentalmente e emocionalmente, eu fiz muita pesquisa, assisti a muitos documentarios, vi muitos filmes sobre mulheres nas forças armadas, conheci algumas oficiais de alto escalão, ex-majores dentro do exércio, e tive uma idéia do dia-a-dia dessas pessoas através delas. Nós também fomos a um centro de treinamento de tiro da CIA, e nós ficamos mais familiarizados com armas. Embora no nosso filme, na verdade eu só acabe atirando com arma uma vez, o que é bom porque eu sou uma pacifista e anti-armas, por isso foi divertido fazer um filme que era mais sobre usar as mãos, estar em fuga, e fazer o que você pode com o que você tem à sua disposição.

O que eu gostei sobre as cenas de luta da Turner, foi que eles não fizeram como se ela fosse tão forte como os caras, mas como sempre ela achava uma maneira de equilibrar o esse poder.

Sim. Acho que tive muita sorte de fazer parte da equipe, com o Ed e também com o Tom, porque é muito importante para eles também, talvez até mais, em alguns casos.

Então, se Susan Turner vai contra um homem de 300, ela vai ficar fisicamente perdida, e então, em vez de fazer a magia do cinema eles pensaram “Bem, este é um filme, ela tem os movimentos de arte macial como algo sério, ela é inteligente o suficiente para usar um telefone como uma arma, para usar uma mangueira como uma arma” Ela é constante. Ela está usando sua inteligência como sua principal arma, e foi legal tomar uma abordagem mais realista para isso.

Você ja conhecia a historia de Jack Reacher antes de ler o script?

Para ser honesta, eu não conhecia. Eu tinha visto o primeiro filme, mas eu não tinha lido nenhum dos livros. Assim quando eu comecei o papel, meu pensamento inicial era “Bem, eu vou ler tudo sobre Reacher. Eu vou começar do começo.” Então quando eu percebi que ele já estavam trabalhando no livro 18 eu fiquei “Eu só vou ler um livro e conseguir o que eu posso só com isso” Eles são muito incríveis, e Lee Child é um escritor maravilhoso e realmente cativa o público. Eu acho que há sempre algo interessante  sobre um lobo solitário assumir o mundo sozinho, então Jack Reacher é um personagem interessante. Ele tem uma bússola moral, eu acho, o que torna agradável de assistir.

Você não passou horas no cabelo e maquiagem, você foi realmente natural para o filme.  Foi algo que você ficou confortável em não parecer linda na tela o tempo todo?

Eu fiquei tão feliz por gastar pouco tempo naquela cadeira de maquiagem. Eu realmente não uso um monte de maquiagem na minha vida real, e se eu usasse não o papel de uma oficial de alta patente do Exército dos EUA não teria sido realista. Acho que até mesmo colocar batom teria sido desnecessário. Eu gostei. Isso me ajudou, eu sou capaz de passar mais tempo no ginásio do que ficar em uma cadeira de maquiagem, então eu estava muito feliz.

Em The Avengers, você interpreta Maria Hill. Você acha que ela foi um trampolim para Susan Turner, que se você não tivesse feito isso, talvez você não teria sido escalada para major Susan Turner?

Você pode estar certo. Eu acho que essa pergunta é para o Ed. Eu fiz um filme pequeno com Andrew Bujalski, chamado “Results”. Guy Pearce está nele, e eu interpretei uma personal trainer, e Ed disse que viu isso e gostou de mim. Ele nunca tinha visto “How I Met Your Mother” ou qualquer um dos filmes de “Os Vingadores”, eu não sei necessariamente o que eles estavam pensando, mas acho que para mim estar nesses tipos de papéis que foram de grande audiênca, provavelmente me ajudou a passar um tempo com “Os Vingadores”. A Hill fez com que eu me tornasse mais crível para um papel de major do exército. Além disso, temos um monte de treinamento e educação para esses filmes, foi isso que me ajudou a me preparar para Jack Reacher.

Sobre uma reunião de “How I Met Your Mother”, você gostaria de fazer isso?

Sim. Isso seria divertido. Eu só quero sair com aqueles caras novamente, então eu faria isso em um piscar de olhos.

Traduzido por: Nathali | Fonte.

Estamos muito orgulhosas em anunciar de que Cobie estará em uma peça em nada mais e nada menos do que BROADWAY! 

O nome da peça se chama Present Laughter, é um revival do ator e compositor britânico Noël Coward. As apresentações começarão em 10 de março de 2017 no Teatro St. James da Broadway; Abertura da noite está prevista para 05 de abril. A produção também conta com Kevin Kline, Tedra Millan, Joanna Lyppiatt, Kristine Nielsen e Kate Burton, e estará sendo dirigido pelo diretor Moritz von Stuelpnagel. No revival da Broadway, Cobie assumirá o papel de Joanna Lyppiatt.

Vale lembrar de que Smulders já esteve em uma produção off-broadway de “Love, Loss and What I Wore”.

Veja a sinopse de Present Laughter abaixo:

Um ator auto-obcecado (existe algum outro tipo?) Está tendo uma crise de meia-idade. Este homem se deixa levar pelo apetite por vinho, mulheres e dormir tarde, não necessariamente nessa ordem. Um amador de teatro, ele se encontra preso entre dramaturgos enlouquecidos (há algum outro tipo?), Engenhos aduladores, tristes secretos e torções inesperadas.

Quem melhor para estrelar nesta comédia de Noel Coward do que Kevin Kline, o favorito do teatro da vida real? Kline, vencedor do Tony e do Oscar, assume o papel, uma vez ocupado pelo dramaturgo. Sob a direção de Moritz von Stuelpnagel, este renascimento de presente riso promete entregar em seu título.

 

» Fonte

Pages12