Cobie Smulders compareceu ao talk show Nova Iorquino do apresentador Stephen Colbert, onde ela foi para falar um pouco sobre a sua nova série da Netflix “Friends from College” , e contou um pouco sobre a origem de seu nome Jacoba Francisca Maria Smulders (ufa!).  

Para assistir LEGENDADO clique aqui ou confira abaixo sem legenda:

   

   

 

Entre todas as estreias desta temporada na Broadway, Cobie Smulders tinha uma tarefa difícil à sua frente. Uma veterena de How I Met Your Mother e de Os Vingadores que compartilhou o palco com nomes de peso como Kevin Kline, Kate Burton e Kristine Nielsen em Present Laughter de Noel Coward.

No entanto, Smulders se absorveu impressionantemente em sua primeira saída na Broadway. destacando-se com a ferozmente independente Joanna Lyppiatt. É uma performance que valeu um prêmio do Theatre World Award.

Com a cortina caindo para Present Laughter no dia 2 de julho, Smulders olhou para trás ao fazer a sua estreia na Broadway junto com a companhia A-list e falou como isso fez ela se esforçar para melhorar.

Qual sua fala favorita que você tem que dizer?

É minha fala favorita, e também é aquela que eu tropecei no começo porque é tão exaustiva: “Nada além da cortesia artificial e tolerância ligeiramente frígida”. Agora que estamos quase finalizando, estou saboreando isso, equanto antes, eu estava apenas tentando lembrar e falar essas palavras.

Todos adoram piadas interiores. Qual é a melhor da sua peça?

Antes de começar a ação, Kristine Nielsen, Kate Burton, Siobhan (que faz nossos cabelos), Madison (que é nosso gerente de palco) e eu temos uma festa de dança muito particular antes de entrar no palco. Eu tenho que aprender que eu não posso entrar muito nessa festa da dança, caso ao contrário eu entro no palco sem ar.

Todo show apresenta dificuldades técnica. Qual foi a pior dificuldade técnica encontrada durante o seu show e como foi tratada?

No final do primeiro ato, Kevin Kline e eu estamos nos beijando e depois a cortina cai. Teve uma noite que estavamos nos beijando e estava super silencioso. Normalmente, a música aparece e as pessoas batem palmas. Eu estava olhando para o topo, e Kevin estava no meu ouvindo, “A curtina não caiu.” e ele disse “Talvez deveriamos subir as escadas”. Então nós subimos as escadas e havia um silêncio terrível. É por isso que você atua com Kevin Kline ou com pessoas que fizeram isso por décadas: eles são mestres e eles pensam em algo no momento, não apenas, como, “Cortina! Cortina!”.

Qual foi o presente mais interessante que alguém te deu na porta do teatro?

Alguém me deu um livro que tinha meu personagem da Marvel, Maria Hill, e eu fiquei muito agradecida.

Qual foi a pessoa mais legal que veio te ver na peça? (Você não pode dizer sua família!)

Neil Patrick Harris. Ele é meio que um membro da família. Josh Radnor, Annaleigh Ashford que veio ontem a noite e eu assisti ela em The Park With George e eu fiquei hipnotizada. Eu tive um desses grandes momentos onde eu estava “Você apenas me viu no palco, então eu posso abordá-la para cumprimentá-la e não me sentir uma tola” Annaleigh foi ótima pra mim.

Como é fazer sua estreia na Broadway em um elenco de atores de peso, como Kevin Kline, Kate Burton e Kristine Nielsen?

No começo, obviamente, foi intimidador. Mas aí eu percebi o quão gentil, entregues, e encorajadores eles eram. Fui muito sortuda. Eles me deram muito apoio. Inicialmente, foi meio assim “Puta merda, tenho que fazer essa performance, durante todos os shows, sendo oponente dessas pessoas.” Mas percebi que isso não era uma competição, não era um “quem faz o que melhor.” Você está cercada por tanto talento que isso só faz você melhor, ou querer ser melhor.

Com qual dos figurinos feitos pela indicada ao Tony, Susan Hilferty, você desejaria poder ficar?

Nós fomos informados que não podemos ficar com nada, mas quero o meu roupão de banho. Honestamente, era a única coisa a qual eu vestiria. O vestido é muito chique, o terninho não condiz com meu estilo de vida, mas o roupão me traz muitas lembranças. Mas ainda estou lutando por isso. Acho que temos dois, então deve ter um que eu possa pegar. Veremos.

Como é ser uma canadense na Broadway em uma temporada a qual o Canadá é muito bem representado em “Come From Away” ?

É emocionante. Lembro dessa história toda e sinto muito orgulho do meu país e não… , porque nós como nação somos muito gentis e hospitaleiros. Ainda não vi. Vou próxima semana depois de terminamos com a peça. Pude ver um pouco no Tony e foi como um receber um abraço quente no teatro.

Como podemos comparar sua personagem em “Present Laughter”, Joanna Lyppiatt, com Robin Scherbatsky de “How I Met Your Mother”?

Elas são duas ervilhas em uma vagem… um pouco. Sobre Joanna, ela é uma mulher realmente moderna a qual está presa nesse tempo em que as mulheres eram proibidas de terem carreiras ou ter sua própria independência, a não ser que elas fossem extremamente ricas. E tem esse mundo que é o da Robin, ela é uma versão atual da Joanna, falando em termos de precisar ter essa independência. Nunca tinha comparado elas antes, mas vejo isso agora.

Se você pudesse fazer uma peça com seu marido, Taran Killam, qual seria?

Quando penso nisso, primeiro reflito sobre nossas vidas agora: quem fica com as crianças? A gente meio que fez esse jogo quando ele estava fazendo “Hamilton”, por um tempo ele estava lá e eu estava cuidando das crianças. Talvez daqui a 15 anos poderíamos fazer “Virginia Woolf” e somente gritar um com o outro e fingir que está bêbado. Ou realmente estar bêbado. Talvez nós poderíamos fazer um musical. Ele estudou teatro musical, e ele é um idiota do teatro musical. Mas ele seria o que cantaria, e eu faria as dublagens. Ou eu só falaria mesmo.

 

Na última segunda-feira (26/06) Cobie Smulders marcou presença ao lado de seus colegas de trabalho na primeira premiere de sua nova série de comédia da Netflix, “Friends From College”em Nova Iorque. Cobie como sempre estava deslumbrante, vestindo um EMILIO PUCCI SPRING 2017. 

Durante a premiere algumas pessoas foram escolhidas para assistir ao primeiro episódio da série dentro do cinema, mas vale lembrar que a data oficial da série é dia 14 de julho, apenas na Netflix.

Adicionamos HQ’s de Cobie Smulders no red carpet e after party do evento. Confira:

   

Netflix lançou o primeiro trailer estendido da próxima série de comédia Friends From College. Como todos já devem saber, o show gira em torno de um grupo de amigos de Harvard, que estão de frente dos seus 40 anos e que tem problemas em ter velhas amizades, relacionamentos românticos e também de envelhecer. Ao lado de nossa querida Cobie Smulders o cast conta com atores de peso como Keegan-Michael Key (Ethan Turner) que fará o marido de Lisa (Smulders) na trama. A série é do criador Nicholas Stoller, diretor de comédias românticas como Forgetting Sarah Marshall The Five-Year Engagement.

Stoller dirigiu todos os oito episódio dessa primeira temporada, e enquanto a este trailer que foi divulgado, ele é divertido e atraente. Ele escreveu todos os episódios da série com sua esposa Francesca Delblanco, que também atua como produtora executiva. 

Essa é a primeira série de comédia que Cobie Smulders irá estrelar depois de passar 9 anos atuando como “Robin Scherbatsky” na sitcom “How I Met Your Mother”. Estamos muito ansiosos para ver Cobie atuar em uma série novamente, e temos a certeza de que vocês também.

Confira o trailer e o poster oficial da série que foi liberado pela Netflix:

Aqui está a sinopse oficial de Friends From College: 

Um grupo de amigos de Harvard interpretado por Keegan-Michael Key (Ethan), Cobie Smulders (Lisa), Annie Parisse (Sam), Nat Faxon (Nick), Fred Savage (Max) e Jae Suh Park (Marianne) estão enfrentando seus Quarenta. Com relacionamentos entrelaçados e muitas vezes complicados uns com os outros,  Friends from College  é uma exploração cômica de velhas amizades, antigos enredos românticos e equilíbrio da vida adulta com a nostalgia do passado. A série é produzida por Nicholas Stoller ( Neighbours, Neighbours: Sorority Rising, Forgetting Sarah Marshall, Leve-o ao grego) , que também dirigiu os oito episódios. Francesca Delbanco serve como EP e escritora.

Poster oficial da série:

No último domingo (11/06) Cobie Smulders marcou presença ao lado de seu marido Taran Killam em uma das maiores premiações do mundo da Broadway, o Tony Awards que aconteceu no Radio City Music Hall em Nova Iorque. Smulders estava deslumbrante no red carpet vestindo um vestido da coleção de Schiaparelli Spring 2017 do estilista Erin Wals que levou ela a ganhar o título de “as melhores bem vestidas da noite.” 

Infelizmente a categoria de “Melhor Revival de uma Peça” em qual Present Laughter estava concorrendo foi vencida por outra peça da Broadway “Jitney”. 

Adicionamos 80 HQs de Cobie no red carpet em nossa galeria, confira clicando abaixo: 

   

Na última segunda-feira (05/06) Cobie Smulders marcou presença ao lado de seu marido Taran Killam na 73º edição da premiação Theatre World Awards que aconteceu em Nova Iorque. 

A premiação elege os melhores atores e atrizes no mundo da Broadway, e como todos sabem Cobie fez a sua estreia esse ano em Present Laughter. Em consequência dessa tão esperada estreia, Smulders saiu vencedora do prêmio de “Melhor estreia na Broadway”. Durante o seu discurso de agradecimento Cobie acabou se emocionando, “Isso tudo é um sonho para mim” disse a atriz. Depois de trabalhar na peça 4 meses e de ter uma estreia excepcional nada mais justo do que ela levar esse prêmio pra casa.

Clique nas miniaturas abaixo e confira as fotos do red carpet em HQ:

   

Cobie Smulders falou com o New York City Monthly sobre seus três anos em Nova Iorque andando de metrô, andando de bicicleta pela cidade e aproveitando tudo o que tem para oferecer. Ela refletiu sobre o significado de sua estreia na Broadway e compartilhou o porque Present Laughter vai manter multidões dando risada.

A estrela canadense, mais conhecida pelo seu papel como Robin Scherbatsky em “How I Met Your Mother” e Maria Hill na franquia de “Os Vingadores”, fez sua estreia na Broadway em Abril ao lado de Kevin Kline no “revival” de “Present Laughter”. A comédia é sobre um ator que tem que lidar com as crises da meia idade, a peça se passa durante o final dos anos 30 e começo dos anos 40, durante a Segunda Guerra Mundial, foi escrita por Noel Coward, e é dirigida pelo nominado ao Tony Awards, Moritz von Stuelpnagel e estará passando até dia 2 de Julho no teatro St. James.

Você construiu sua carreira na TV e no cinema, de How I Met Your Mother, para Os Vingadores e muitos outras séries e filmes. Como a oportunidade de estrelar em Present Laughter na Broadway surgiu para você?

Bem, eu venho caçando. Eu estive esperando fazer teatro desde que sai do útero, sério. Eu comecei teatro no ensino médio e depois do ensino médio fiz em Vancouver onde tem caixas de teatro pretas com assentos e coisas dobráveis. E eu me mudei para Los Angeles e sempre fui contratada para filmes e TV. Especialmente quando eu me mudei para Nova Iorque três anos atrás, entrar no teatro era o meu primeiro objetivo.

Eu sou sortuda em fazer uma peça de Noel Coward. É um maravilhoso cast liderado por Kevin Kline. É meio que insano então eu tento não pensar muito sobre isso porque é irresistível. Apenas egoisticamente, ter a experiência de um público ao vivo e tentar manter fresco quando você já fez 80 vezes é um grande desafio para mim. E também eu queria me tornar uma Atriz melhor e ter a experiência de interpretar um personagem por tanto tempo. Para aprofundar em um projeto e ter muito tempo em um mês ensaiando. Quando você está fazendo cinema ou tv você não tem nenhuma oportunidade de ensaiar; você se prepara sozinha e você não tem uma oportunidade de trabalhar com o elenco ou o diretor. Especialmente com o fato de ser uma peça de Noel Coward, com sotaques, tem que dar tempo para ferver e fazer um ótimo show.

Você mora em Nova Iorque é claro com o seu marido Taran Killam. O que você mais curte em ser uma moradora de Nova Iorque, tanto como atriz ou como uma moradora como qualquer outro?

Bom quero dizer, o que é ótimo sobre minha situação é que eu me mudei para cá e eu sempre soube que eu iria morar aqui por três anos. E esse é um presente, porque você sabe que há um prazo de validade, então você realmente aproveita isso.

Eu ando de bicicleta pela cidade, eu ando em todo lugar. Eu vejo muitos shows e música ao vivo o quanto eu puder. Eu tive algumas das mais deliciosas comidas. Eu conheci os maiores grupos de pessoas elétricas, e para mim tem sido a coisa mais animadora. É uma cultura tão diversa, você tem uma escala socio econômica inteira e você é jogada nesta maldita loucura do metrô. E estar constantemente conhecendo pessoas é realmente emocionante. Eu conheci algumas das pessoas mais interessantes nesta cidade, e eu realmente aproveitei meu tempo aqui; Tem sido a cereja em cima do sundae na Broadway.

Você tem a chance de trabalhar com um dos melhores atores, Kevin Kline, tanto um homem que é líder quanto um ator que interpreta personagens célebres uma ou outra vez. Como tem sido a experiência para você de trabalhar com Kevin e outros atores talentosos do elenco?

Sou muito fã do Kevin. Eu era muito fã dele – In & Out, A Fish Called Wanda – ele é muito divertido. É muito divertido assistir ele, sinto que com alguns atores – e são muito poucos – você não sabe o que essa pessoa vai fazer em seguinte. Isso te prende. Verdadeiramente acho que ele é um dos melhores atores do nosso tempo. Ele é um sábio idiota. Isso soa negativo; mas é o elogio mais positivo que se tem, ele é um excelente pintor, pianista, é um ator excepcional e é um bom escritor. Ele tem uma força criativa, e a possibilidade de estar no palco com ele todos os dias e não saber como as cenas vão terminar toda noite é muito divertido. E nós temos Kate Burton na peça também, ela tem feito isso desde que era uma criança, e ela é uma pedra, ela é uma excepcional mulher de poder. E Kristine Nielsen é incrível também, ela é muito engraçada. Muitas vezes as comédias são mais difíceis de fazer do que os dramas, mas essa, quando você está fazendo uma peça de Noel Coward, você pode cair em uma armadilha e ser uma farsa; pode parecer que não é real. Vivemos em um mundo que é muito baseado na própria realidade, não acho que as pessoas estariam interessadas em ver esse tipo de performance. Era o final dos anos 30 mas ainda é real e fundamentado, é sobre encontrar esse equilíbrio, encontrar esses momentos reais, e o nosso elenco é simplesmente excepcional todas as noites.

Sua estreia Off-Broadway foi em 2010 em “Love, Loss, and What I Wore”. “Present Laughter” foi sua estreia na Broadway. Você ficou de olho na Broadway por um tempo?

Não tinha feito nada nos palcos desde essa época. Foi uma espécie de corrida; teve duração só de um mês. Mas foi maravilhoso, foi uma coisa totalmente diferente. Quando eu não estava morando aqui, foi um compromisso de 6-8 meses. Estou bem feliz por ter tido a oportunidade de morar nessa cidade. No intervalo de “How I Met Your Mother”. Como “Love, Loss, and What I Wore” foi durante meu hiatus na TV, funcionou perfeitamente. Fiz várias audições para o teatro aqui, e não deu certo, ou eu não estava disponível ou eles não me queriam ou eles pensavam que eu não era boa o bastante. Não deu certo até que essa coisa que aconteceu, e é maravilhoso porque é o meu projeto dos sonhos.

“Present Laughter” foi aos palcos em 1942 e foi estrelado por grandes talentos, como Albert Finney, Peter O’Toole, Ian McKellen, entre outros. Por que essa peça, que é um revival sobre um ator que é obcecado por si mesmo, é uma boa escolha para assistir agora?

É engraçado porque Noel Coward escreveu a peça logo depois de uma guerra. Era uma oportunidade de ir ao teatro, sentar, rir e se divertir. Acredito que essa é a hora de sair, de estar com outras pessoas e de ser entretida por duas horas e meia. Acho extremamente encantador; é uma retomada ao tempo em que os personagens eram mais amplos e arqueados, é simplesmente uma versão perfeita de como os anos 40 eram. É uma ótima chance para esquecer os problemas e ter boas risadas.

Tradução: Nathali e Flávia. | Fonte

Mesmo sem todos os seis amigos da faculdade presentes, o cast e o criador de “Friends From College” não acharam dificuldade em estar no Tópico.

O Entertainment Weekly esteve com Fred Savage, Cobie Smulders, e o diretor e também escritor da série Nick Stoller em uma mesa redonda em Maio, enquanto o trio mergulhava em sua nova comédia da Netflix “Friends From College”, uma comédia sobre, bem, amigos da faculdade. O grupo de seis amigos como o centro do show, Ethan (Keegan-Michael Key), Max (Savage), Lisa (Smulders), Sam (Annie Parisse), Nick (Nat Faxon), and Marianne (Jae Suh Park) — Se conheceram décadas atrás quando estavam estudando em Harvard e se reuniram em Nova York depois de Ethan e Lisa, um casal, se mudaram para a cidade.

É claro, as coisas começam a ficar um pouco mais complicadas do que isso. A comédia explora os entusiastas das amizades de longo prazo, começando com um casal com um relacionamento bagunçado. E na maioria das vezes o grupo entra em problemas sem pensar em duas idades atuais. Por sorte, Savage, Stoller e Smulders mantiveram as coisas profissional em volta da mesa. Bem eles estavam até começarem a falar sobre outra coisa.

EW: Vamos começar do começo. O que atraiu você Nick, para escrever e dirigir isso agora?

NICHOLAS STOLLER: Minha esposa [Francesca Delbanco] e eu escrevemos o primeiro script alguns anos atrás. Nós começamos a trabalhar na série apenas sobre casamento e aí nós pensamos que temos um grupo bem apertado de amigos da faculdade em Los Angeles e sempre achamos essa dinâmica muito interessante. Eles eram como nossa família, eram pessoas próximas a nós, mas também todos nós regredimos quando nos encontramos e, por isso, pareceu ser divertido empurrar tudo isso para esse grupo e ter uma conexão de 20 anos.

Falando sobre isso, por que começar uma comédia sobre infidelidade, como o caso de Ethan e Sam sendo o foco nos primeiros episódios?

STOLLER: A regressão final é uma conexão que nunca acaba. Estes são personagens que normalmente não enganam; Esse não é o problema. O problema é que esses dois, Ethan e Sam, querem de alguma forma ter sua vida adulta, mas também querem viver no passado quando estavam na faculdade. Essa é a versão mais extrema disso, eles têm essa relação que não vai acabar.

COBIE SMULDERS: Eu lembro quando estávamos filmando, era tão importante os outros relacionamentos, Lisa e Sam, e Sam e seu marido serem felizes. Tipo, não foi uma falha em um casamento que obrigou esses dois a procurar outra coisa em outro lugar. Eu achei que isso foi bem interessante.

STOLLER: Tem esse livro que minha esposa me apresentou, é da Laurie Colwin e é chamado “Family Happiness”. A personagem central do livro tem filhos, mas ela também tem um affair que está a destruindo, e a pessoal a qual ela tem um caso sabe que ela é casada e não quer mais nada sério além daquilo. É sobre querer ter tudo. Você quer ter aquela fantasia que está longe de sua vida normal, mas você também ama seu esposo, seus filhos e sua vida com eles. É um livro fantástico, e foi uma das poucas vezes em que olhei a infidelidade sem nenhum questionamento moral… Pareceu interessante para nós que [Ethan e Sam], não são, tipo, sociopatas que acabam com as pessoas. Eles as amam [esposas], mas eles também querem escapar disso, e acho que muitas pessoas vão se identificar com isso.

Por que seu foco foi um grupo de amigos dessa idade? O que faz essa faixa etária especial? Sabe, a partir de…

SMULDERS: Tipo, de 34 [aponta para si mesma] até [aponta para Fred Savage, que tem 40] uns 67…?

FRED SAVAGE: [risos] tá certo, o personagem que eu faço está à beira da demência. [risos]

STOLLER: É, e [aponta para Cobie] você está muito animada por ter comprado cerveja pela primeira vez.

SMULDERS: Estou muito animada!

STOLLER: Essa é a principal motivação da Lisa, comprar bebidas alcoólicas.

Acho que minha pergunta é por que um grupo de graduados de Harvard da meia idade que estão passando por crises na vida se relacionará com uma parte dos espectadores?

STOLLER: Acho que são coisas especificadas dos personagens. Eu acho que eles todos têm os seus defeitos, e eles têm os mesmos medos e esperança e desejos. Acho que isso é verdade não importando qual faculdade você frequentou, é isso é verdade não importando a sua idade. Pode ser só eu, mas amei “Sex and the City”. Assisti a série duas vezes, e captei coisas diferentes nas duas vezes que assisti. A primeira vez foi nos meus 20 e poucos anos, quando ainda estava passando, e eu realmente odiei Aidan, e eu assisti de novo durante meus 30 e poucos anos e odiei a Carrie. Estou sendo parcialmente faccioso, mas acho que é bom ter uma série a qual você pode crescer junto a ela. Amei “Golden Girls”, você sabe o que eu quero dizer? Não acho que a idade dos personagens importa.

SAVAGE: Tematicamente, nós estamos lidando com amizade e amor, e sonhos diferentes, traições e corações partidos e anseio é esperança e todos esses temas que são universais, pelo menos para os adultos. Quero dizer, não recomendaria a série para crianças.

STOLLER: Mas elas poderiam assistir [inclina perto do gravador] “Bill Nye the Science Guy”, também na Netflix.

SMULDERS: Ou “The Magic School Bus”

STOLLER: [chega perto de novo] também na Netflix.

Cobie, Fred, o que trouxe vocês a bordo? Fred sei que você e Nick tinham feito “The Grinder” antes.

STOLLER: Sim nós éramos [faz aspas no ar] “amigos” antes.

SMULDERS: Oooh, ele colocou aspas nisso.

SAVAGE: [risos] Eu sou uma “aspas no ar” vivente [faz aspas no ar] “Fred Savage”, o “amigo”.

SMULDERS: Então, conheci o Nick pelo Jason [Segel, que contracenou com Smulders em How I Met Your Mother] há muito tempo, e sou fã dele faz muito tempo, não só como pessoa mas como criador e diretor e como ser humano. [risos] Fred é novo pra mim, mas também sou fã dele. [Fred ri]

SAVAGE: bom, percebi que Nick foi a única pessoa que me contratou como ator nos últimos 10 anos, então pareceu uma boa oportunidade, essa série. [risos]

Quando vem para os grupos de amigos da vida real, vocês se parecem com os seus personagens na série? Tipo, Cobie, você foi sempre a mais nova da sua roda de amigos?

SMULDERS: Ou significativamente mais nova? [aponta para o Fred de novo] sim, lembro realmente que quando comecei a atuar profissionalmente aos 18 anos, isso significa que eu também virei uma garçonete [risos] e todas as mulheres que trabalhavam comigo já estavam quase saindo da casa dos 20 anos. Era um grupo interessante porque sentíamos que tínhamos a mesma idade. Nós compartilhamos algumas experiências, mas com certeza tinha muito mais coisas para aprender.

E Fred? Você se acha parecido com o Max?

SAVAGE: Bom como Cobie disse, você sabe, é uma série sobre assuntos universais: amizade, amor, corações partidos, decepções arrependimentos, então acho que tem várias experiências que nós compartilhamos de um jeito ou de outro, talvez não do mesmo jeito que o personagem, mas definitivamente de um jeito em que você entende a pessoa e tenta se assemelha a ela.

Então você está dizendo que nunca ficou chapado com cocaína e jogou uma pizza na parede?

SAVAGE: É, não vou comentar sobre isso [ele ri maliciosamente].

Nick, você baseou esse grupo de amigos no seu próprio grupo de amigos. O elenco teve alguma chance de conhecer as inspirações dos personagens?

SAVAGE: Sim, todos eles escreveram a série [risos].

STOLLER: Sim, uns amigos meus da faculdade estavam no staff. Nós éramos preguiçosos. Mas, você sabe, quando você escreve e reescreve [o script] e você bota o elenco [para a série], se torna bem diferente. E quando começa a ficar pessoal, o que resta é a velha dinâmica que existe entre amigos. Acho que não vai ter muito de, como, um amigo meu está vendo e vai dizer “oh isso sou eu”. Mas a tendência da Lisa de ser um pouco mais anal, definitivamente vem da minha esposa Francesca [risos]. Ela diria isso.

Quando você e Francesca escreveram a série, você estava escrevendo com o estilo compulsivo da Netflix em mente?

STOLLER: Sim, foi definitivamente modelado para ser compulsivo. Quando escrevemos, pensamos na série como se fosse um filme de quatro horas. Nós quase o estruturamos como um filme, e nós descobrimos como os episódios iam se desenvolver baseado nisso. Se você deixar algo compulsivo, algo que não era destinado a ser desse jeito, você percebe o quão repetitivo isso fica.

Além da estrutura, tenho que perguntar, como essa série sobre amigos difere de outras comédias que são sobre amigos? STOLLER: [risos] Qual outra série é sobre amigos? Bom… “Friends”.

SMULDERS: [risos] Mas não já passou há muito tempo?.

SAVAGE: Inicialmente ia se chamar “Friends”, aí em parêntesis “Not Friends”.

STOLLER: Tem uma apologia expressa nesse título, “Amigos da Faculdade.”

SMULDERS: Você tem que jogar uns pontos nele. “Amigos…. da Faculdade.”

SAVAGE: Sim, definitivamente é um grupo e tanto. Tipo, é um grupo que diz, “Ontem foi o melhor.” [Risos]

STOLLER: “Por favor aguarde ontem!”

SAVAGE: “Sim, não foi tão bom? Ontem foi incrível”

Além disso, essa série é bastante pesada e vai para alguns lugares mais escuros e mais profundos, e não apenas com o triângulo amoroso.

SMULDERS: O que é interessante é que são personagens que não passaram muito tempo juntos em um só lugar desde a faculdade, então eles apenas jogam uma chave em toda a obra. E eu vou falar apenas pela minha personagem, Lisa, Lisa e Ethan estão tentando ter um filho, e isso vai desenrolar ao longo da série, mas Lisa está realmente determinada em ter um filho e começar uma famila, mas Ethan não sabe.

SAVAGE: Só sei que Seth Rogen é tão importante nisso que eu nem sei mais o que dizer.

Sim, você tem um grande numero de estrelas divertidas neste show.

SMULDERS: Alguns fantástico pra c*ralho, sim.

SAVAGE: Kate McKinnon, Ike Barinholtz…

STOLLER: And Seth Rogen. [Publicista adverte-o para não estragar o envolvimento de Rogen no enredo.]

Oh não, eu não acredito que Seth irá interpretar o bebê de Lisa.

SAVAGE: Oh sim, Seth Rogen é o bebê.

STOLLER: Ele é o bebê que nasceu inteiro. Essa é uma boa ideia para um filme.”Bebê Adulto.”

Houve um filme recentemente chamado “Bebê Chefe.”

SAVAGE: Não arruine! Deixa a gente fazer isso. [Risos]

SMULDERS: Deixe a gente fazer.

Desculpa! Mas devemos voltar para a série… Cobie e Fred, como se compara as experiências que vocês já tiveram com as comédias mais tradicionais que vocês fizeram?

SMULDERS: Para mim, minha única experiência real na televisão foi em “How I Met Your Mother”, de forma comparativa com isso, quero dizer, sabemos como isso começa e acaba. Eles tiveram todos os roteiros escritos quando começamos a série, o que foi uma benção, de verdade, porque você conhece a trajetória de onde o seu personagem está indo. Além disso é na Netflix, então há um pouco mais de liberdade em termos de coisas que são ditas, e coisas que são mostradas ou não são completamente mostradas. [Risos]

STOLLER: Sim, há a salsicha.

SMULDERS: Sim, mas não é a minha salsicha.

SAVAGE: Você nunca deve mostrar sua salsicha, e todos estavam perguntando pra você. [Risos]

SMULDERS: Eu sei. Eu sei, não é o momento certo, talvez em outra temporada.

STOLLER: Deixe-nos informados quando você estiver pronta.

Meu Deus. Eu ia perguntar sobre como o elenco se uniu para fazer amigos de longo prazo..

SMULDERS: Nós Fred? Fizemos muita ligação?

SAVAGE: Quer dizer… [Risos] foi como se nunca tivessemos dito adeus uns para os outros. [Nick começa a rir.] Nós iriamos para o trabalho e estariamos juntos o dia todo, e então eles diriam “Oh, você acabou” e nós iriamos jantar, sair a noite toda, e depois simplesmente voltar para o trabalho.

STOLLER: Nossa piada foi Fred nunca sair. Ele não tem uma política de sair. [Fred começa a rir]. Nós o chamariamos e seria tipo: “Estamos todos em North Fork no restaurante do hotel, porque é isso, esse é o único lugar para comer, e você quer se juntar a nós?” E ele diria: “Não, estou assistindo This Is Us”.

SAVAGE: Você se afasta de This Is Us! Você desliga no meio do episódio, veja como isso acontece.

STOLLER: E Designated Survivor. [Risos]

SAVAGE: Nós tivemos alguns dias de ensaios para meio que descobrir um pouco do nosso ritmo, mas na maior parte do tempo foi muito natural. Todos nós seguimo muito bem.

SMULDERS: Exceto por um dia.

STOLLER: Oh, aquele dia foi ruim. Onde você não mostaria sua salsicha.

Oh não, nós vamos voltar pra isso.

SMULDERS: Sim. [Ela olha pra Nick] Eu disse, “Eu preciso falar com você.”

STOLLER: E foi estranho que você trouxe Fred para dentro da conversa.

SMULDERS: Bem você sabe o porque, eu me sinto mais confortável com o Fred. [Risos] Provavelmente por causa de todas as vezes que saímos depois do trabalho.

Além da entrevista, a Entertainment Weekly divulgou com exclusividade mais uma still da série, e você pode conferir ela em tamanho real clicando na miniatura abaixo:

Tradução: Nathali e Flávia | Fonte

Finalmente a nossa espera já vai acabar, a Netflix liberou nessa terça-feira (23/05) dois trailers da nova série de Comédia com a nossa amada Cobie Smulders no elenco. A série tem data de lançamento oficial dia 14 de Julho somente na Netflix. Confira um dos trailers legendado, onde nele podemos ver um pouco sobre a personagem da Cobie, Lisa ao lado do personagem do ator Keegan Michael Key que interpretará o personagem Ethan Turner.

  

Cobie marcou presença no programa da NBC Late night With Seth Meyers no dia (08/05) onde falou sobre sua ida para Portugal, sobre Present Laughter e um pouco como foi ser dirigida em um filme pelo seu marido Taran Killam.

Confira videos da entrevista: 

 

   

 

Pages1234